E um sopro de despedida.

29 de mar de 2011

Eu enfrentei mundos para desenterrar seu sorriso. Enviei um sopro de esperança aos teus ouvidos e aconselhei teus olhos a não se intimidarem e continuarem expondo o brilho mais intesno que eles carregam. Deixei a mostra todos os espinhos para ameaçar quem quisesse te fazer mal. E não era preciso de agradecimentos. Sentir a sua correspondência em cada abraço, ver teu sorriso estampado, já me falavam mais que um simples obrigada. A minha alma sabia conversar com a tua como eu sei que nunca mais vou conseguir com . E eu topei entrar nesse jogo, correndo riscos e às vezes até me rasgando, porque a cada ponta de alegria, eu sabia que valeria a pena.

Eu não me importaria com as as feridas que eu conquistei pela batalha. As feridas fechariam com o tempo. Virariam cicatrizes que incomodariam no começo, mas que com um pouco de sol, desapareceriam da minha pele. Ou ficariam mais escondidas. O mais difícil nisso tudo foi ter que desistir porque você pediu. Não com palavras, mas com a sua ausência. Sua indiferença foi pior do que qualquer sangrar. Eu me entreguei inteira e esperei, de forma inocente, que você me desse um pouquinho de ti também. A única coisa que eu pedi enquanto o céu nublava, era que você não me fizesse querer viver sem você.

É isso. A partir de hoje, te deixo para trás. Não vai ser fácil esquecer das histórias construídas, inventadas, reinventadas. Não vai ser fácil me perdoar, porque eu tenho uma mania de achar que quando as coisas dão erradas, é por culpa minha. Eu vou achar que poderia ter ido atrás, não ter deixado soltar, que podia ser o seu melhor, que você também estivesse sofrendo. Mas vou esquecer disso, só por hoje. Eu também sofri, e muito. Mas é aí que nós nos diferenciamos: Quando meus pés resvalaram, tinha uma foto sua me descompassando aqui do lado. Me implorando para recomeçar. Eu sabia que nublaria, mas lembrava que também teria um amanhecer. Você, ao contrário, desistiu no primeiro empecilho. Virou refém dos seus próprios medos. Alguém te jogou uma amarra, e logo você, dona de uma pose autêntica e sábia, nem fez questão de tirá-la. Se é assim, tudo bem. Só não haja como se eu não tivesse lutado por você. Eu lutei muito e por muito tempo, perdoe-me se agora estou cansada.

Já fiz inúmeras promessas. Cuidar mais de mim, me importar menos com você, deixar de tratar como prioridade quem me trata como opção. Frases decoradas de um livro de auto-ajuda qualquer. Colocarei em prática.

Construímos um castelo de areia. Daqueles mais bonitos. Estrondoso. Ornamental. Que não tem um que passe e não repare. Mas só esquecemos do quão frágil ele era e de como foi fácil, e paradoxalmente difícil, vê-lo ruir com apenas uma onda no mar.

26 comentários:

' Rô  ☮ disse...

texto triste, belas palavras. me fez arrepiar e vou seguir ;)
Beijos e bola pra frente rs . .
Quem sabe você é aquela super-heroína que tem poderes e forças para encontar um novo grande amor .

Larissa V. disse...

Às vezes a ausência e o silêncio machucam mais do que palavras e golpes. O silêncio é gelado, pontiagudo e extremamente afiado.
E às vezes também nos doamos demais a algumas pessoas, que não retribuem essa doação, nos sentimos frustradas, e dói ter que deixar alguém que idealizamos no passado mas que não correspondeu às nossas expectativas. Mas como disse Marilyn Monroe: "Eu acredito que tudo acontece por um motivo. As pessoas mudam para que você possa aprender a deixá-las, as coisas dão errado para que você possa dar valor a elas quando estiverem certas, você acredita em mentiras e eventualmente aprende a confiar em ninguém exceto você mesmo e as vezes coisas boas dão errado para que coisas melhores possam dar certo".
:* espero que dê muito certo pra ti!

Fernand's disse...

se eu não estiver bem comigo, não posso amar ninguém...



sagitarianas são tudo gente boa!

=)

Brenda Gomes disse...

Lindo demais. Me identifiquei muito com o seu texto porque ontem mesmo fiz um de essência parecida. Belíssimas palavras, bonito sentimento e doloroso fim. Bjs

Rebeca Postigo disse...

Contruções não são difíceis de erger...
O complicado é mante-las de pé...
Lindo texto!!!

Bjs

sarah disse...

Que essa deixa tenha um caminho a ser seguido adiante, e que esse caminho seja doce...

porque tudo muda, e sempre há esperança pra aquele que crê!


bjs.

Marianne Mello disse...

eu me identifico muito com o que tu escreve. E sobre o blog em si : adorei o layout novo(pramim).
E sim,você sente um pouco de mágoa nas minhas letras :/

Lys Fernanda disse...

Que melancolia, mas o texto em si está bem estruturado, muito bem. Ate mais!

Thalita Santos disse...

Que lindo esse seu texto.Me fez refletir sobre meu atual momento de vida, em que me encontro numa história bem assim.

beijo!

Tânia T. disse...

Puxa.. me identifiquei muito com isso!


É tão triste quando o castelo desmorona.. quando temos que seguir em frente e simplesmente esquecer. mas isso é tão necessário né?


Lindo post. Adorei! ;D


Bjuu =*

Priscila Daiana disse...

Adorei o blog. Seguindo. Se quizer seguir o meu é: http://pensamentosoltoo.blogspot.com/

Sucesso!

Liza Santana disse...

É verdade. Uma hora a gente cansa de lutar e não ver respostas. Parece que estamos lutando sem armas, e que o inimigo sabe nossos pontos mais fracos. E porque ainda assim insistimos?
Porque uma hora precisamos reconquistar nosso amor próprio.
A frase "deixar de tratar como prioridade quem me trata como opção" é repetitiva, mas ideal para esses momentos. E te digo mais: Goste apenas de quem gosta de você. Você vai se sentir melhor, eu sei.


"Não tenha medo. Ame mais. Viva mais. Cuide-se mais." - Recado de um anjo.

Obrigada por suas palavras no meu blog flor! :D

Luiza disse...

Thaís!
Quanto tempo!
Quando vi seu comentário em meu blog, meus olhos brilharam, meu coração descompassou. Thaís? Seria aquela velha companheira de posts? E era...
O que posso dizer? Simplesmente que nossos dois últimos posts tratam EXATAMENTE do mesmo assunto... o seu complementa o meu, e talvez o meu complemente o seu... mas quando eu li o título, eu já senti que, se não era o mesmo assunto, estávamos muito próximas.
"Construímos um castelo de areia. Daqueles mais bonitos. Estrondoso. Ornamental. Que não tem um que passe e não repare. Mas só esquecemos do quão frágil ele era e de como foi fácil, e paradoxalmente difícil, vê-lo ruir com apenas uma onda no mar." - obrigada por esse parágrafo. É exatamente como me sinto.

Saudades de nossas conversas e nossos comentários nos posts uma da outra...
Um beijo,
Luiza.

Paradise disse...

Belo texto, irei seguir o blog.

http://mensagensquenaomandei.blogspot.com/

devaneadora disse...

É triste quando um amor não é correspondido, quando nossas esperanças se perdem aos nosso passos sofridos e o quanto não reconhecem nossa luta árdua para manter o sorriso daquele que amamos.Saiba que cedo ou tarde virá um amor ti recompensar e fará tudo que hoje você faz por aquele que não sabe ti olhar com os olhos merecedores de um amante. A vida é mesmo assim, cheio de desenganos de espinhos mas para existi-los as rosas devem prevalecer...
Sentimentos são construídos e aqueles que devem florescer dentro de nós florescerão. :]

Beijos

Amanda. disse...

Olá moça , boa noitee!
Lindo textoo , tô te seguindo aquii *-*
segue de volta ?
SUCESSO

http://amandanascto.blogspot.com/

Daniela Filipini disse...

"Só não haja como se eu não tivesse lutado por você. Eu lutei muito e por muito tempo, perdoe-me se agora estou cansada."

Lembrou-me uma música que gosto muito. "Só nunca esqueça que eu amei você."

Nunca esqueça tudo o que eu fiz, tudo o que eu faria se pudesse - se você me permitisse, se a vida nos permitisse... Enfim, lindo. Mas dói.

- disse...

Não sei se conheces o livro A menina que roubava livros , mas enfim, como diria Sra.Morte : queria perguntar-lhe: como podia uma coisa ser tão medonha e tão gloriosa ?

triste é a certeza de que a vida tem mesmo dessas coisas...

lindo blog , parabéns flor ;*

Ná Lima disse...

Difícil de construir e manter.

Nada acontece por acaso, talvez se o castelo caiu, foi por um ato falho, o próximo será melhor que o anterior.

jessyka disse...

Saudades daqui!
Como sempre, belas palavras.
Ainda quero ver todos estes textos se tornando um livro hein!

Beijo, beijo :*

Bianca Telles de Morais disse...

Oi flor. Desculpa a demora pra responder a visitinha ;)

Entonces... Infelizmente é difícil mesmo sair de uma relação. Há lembranças, há sentimentos, há mágoa e muitas vezes ainda há amor. Mas nada pode ser maior que nosso amor-próprio e bem estar, portanto, tem-se de seguir em frente.

Teu texto me lembrou um poeminha da Martha Medeiros:
"Te amei como nunca amei nessa vida, e do final deste amor restou uma mulher tão fria, que nem por ti mesmo conseguiria sentir o amor que senti um dia."

É isso aí, seguir em frente firme e forte.

Ótimo restinho de semana pra ti flor, beijão! E melhoras. ;)

Drêycka disse...

olha eu aqui de volta.
de volta das cinzas, ne?
com alguns poucos posts aguados no bolso, e sem cara pra aparecer por essas bandas e dizer que ainda tô viva!!

:D Bjus! *saudades*
dreycka

Leticia Oliveira disse...

PERFEITO !
não tenho mais nada a dizer ..

[OFF: amei a nova cara do blog]

Tenha uma boa semana :*

Larissa Castro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Larissa Castro disse...

"Construímos um castelo de areia. Daqueles mais bonitos. Estrondoso. Ornamental. Que não tem um que passe e não repare. Mas só esquecemos do quão frágil ele era e de como foi fácil, e paradoxalmente difícil, vê-lo ruir com apenas uma onda no mar." Verdade, é quase sempre assim ): Bela escolha de palavras pra descrever algo com que muita gente se identifica.

Larissa Galasso disse...

Entendo sua situação. É realmente difícil. Mas você tem que seguir em frente. Boa sorte e parabéns pelo belo texto.

Beijo







Design e código feitos por Julie Duarte. A cópia total ou parcial são proibidas, assim como retirar os créditos.
Gostou desse layout? Então visite o blog Julie de batom e escolha o seu!