Explícito, assim.

5 de mar de 2011

Cara, eu feliz. E feliz faz tempo. Isso me assusta, já que uma felicidade grande e duradoura assim sempre vem acompanhada de angústia, logo depois. Mas a verdade mesmo é que eu feliz pra cacete. Mas experimentando de uma felicidade diferente, daquele modo em que eu 'não tenho' mais as pessoas que caminharam comigo durante tanto tempo para compartilhar. Uma ênfase no não tenho entre aspas. Ter, eu tenho. Vou ter sempre. Tenho consciência. Mas é que eu não tenho agora, tendo do lado, de fato.

Deixei a poesia descansar e só vou acordá-la para tratar de assuntos bonitos e que não falem de saudade, preferencialmente. Porque a minha saudade deixou de ser bela para se tornar doída. Hoje eu quero ser direta. Realista. As brincadeiras na chuva, as piadas internas e até as reclamações tem me feito falta. As fotos, os gritos, as tiradas, as malícias, as risadas e os segredos não se fazem mais presentes nos meu dias. Meu coração tá clamando por olhares que me entendam e acariciem, por palavras que machuquem e ao mesmo tempo consolem. querendo as amizades de volta. Amizade mesmo, daquele tipo que a gente pode dar birra, brigar, ignorar, dizer na cara, passar a mão na cabeça quando preciso, crescer junto. E ter certeza de que ela segue em frente, firme e forte, pro que der e vier.

Tá tudo se colorindo ao meu redor. Eu fazendo o que eu gosto, exatamente aonde eu queria estar, mais livre, mais eu, amadurecendo. sorrindo, conhecendo coisas novas, ampliando horizontes, andando até de ônibus, cara. Já imagino a fisionomia de vocês ao lerem isso e os pensamentos sincronizados em pensar: 'Aquela patricinha saindo por aí de busão?' Pois é. E isso, por mais estúpido que possa parecer, tem me feito ficar orgulhosa de mim mesma. Por estar crescendo. Andando por outros caminhos. O fato mesmo, é que eu cansada de ser indiferente à ausência de vocês. Vocês que sabem exatamente que são pra vocês que eu direciono todo esse texto. Eu não sei viver sem ter carinho, é a minha condição. Ponto final. Ainda sobra tanta falta.

Voltei a me encontrar entre as letras. Meu alívio. E nem tenho feito questão de fazer total sentido para os que me lêem. O importante é que ao voltar no começo do texto e percorrer cada uma dessas linhas, é como se experimentasse, de novo, cada sensação ali depositada. Escrever tem sido uma válvula de escape. E retomo a idéia de que sozinha não sou. Não consigo.

'Ali estava alguém que eu estava com saudades
Eu penso que poderiam ser
A melhor parte de mim
Estão em seu próprio lugar fazendo a coisa certa
Mas eu estou cansando de justificar
Então eu digo que vocês irão
Voltar para casa
Voltar para casa
Porque eu estive esperando por vocês'.


Então, por favor, já é hora de voltarem para casa.

P.s: Precisava que a necessidade de destrancar me fizesse voltar. A falta imensa que o blog me fez, esses tempos, não me deixou dúvidas. Cá estou.



22 comentários:

Joyce C. disse...

Tatá voltou!
Delicada e sensível. E não seria diferente. Amei! Belo! Cada palavra doce.

Beijos, linda!

Tania T. disse...

As palavras são o nosso antídoto!!!

xD

Adorei o post!

Bjãoo

Thais disse...

Incrível como sempre, te ver feliz me deixa feliz! É um alívio saber que tudo tá correndo bem com vc, apesar dos pesares... Tudo se ajeita! Te amo minha patricinha que agora anda de ônibus kkkkkk ♥

Perigo&Sorriso disse...

Eu não sei viver sem ter carinho, é a minha condição.
curti demais , tô seguindo.
posta mais coisas.

Mayara Azalscky disse...

adorei aqui, seus textos são inspiradores *o*
você mesma escreve?
parabéns pelo blog, seguindo. Se puder retribuir, agradeço mto!
http://sentimentosgratuitos.blogspot.com/
bom carnaval!

Leticia Oliveira disse...

Impressionante como me identifiquei com esse teu texto! Descreve exatamente a fase que eu tô vivendo. Me apaixonei pela forma que escreve, vou tá seguindo aqui :*

Marianne Mello disse...

seguindo moça :B
adorei a forma de escrever, mesmo!

Isa G. disse...

Ooooi!!! como está? estou retibuindo a visita =) adorei aqui...pode ter certeza que voltarei mais vezes! beijoss

Lys Fernanda disse...

Adorei a maneira como escreveu, como relatou seu estado de espirito, espero que vivas melhor sempre, a cada dia que vier. beijos!

Natália disse...

O que importa é que você está feliz, não importa o motivo e muito menos o tempo que a felicidade está durando, viva e deixe viver. beijo

Tainã Almeida disse...

Os adultos vivem dizendo que a adolescência é um dos periodos mais marcantes da adolescência. Mais o que o adolescente pensa disso?

Visita meu blog?

http://blogdeumagarotaadolescente.blogspot.com/

Se gostar do meu blog, segue lá, ficarei muito feliz mesmo. Desde já obrigada , beijos e uma ótima semana.

Jéssica Trabuco disse...

Me vi muito entre suas palavras.
Estou feliz de quem sou.
É isso aí, siga em frente assim.

Rebeca Postigo disse...

Amei!!!
Que bom que voltaste com tuas palavras desconexas...
Belo texto!!!

Bjs

Paloma disse...

Como é bom ter você de volta! Tem vezes que a gente só se entende quando escreve.

Algumas vezes precisamos estar "sozinhas" para crescer, e só nós mesmos sabemos apreciar nossas pequenas conquistas. Faz todo o sentido.

Bjos!

Juliana disse...

É incrível o poder que as palavras têm sobre nós. Também estava afastada daqui, mas não aguentei e voltei e com um novo blog. Se puder passe por lá...E assim, vamos seguindo, mesmo que nos desviemos dos caminhos das palavras, para elas sempre haveremos de voltar!!

Firefly disse...

Bem vinda de volta a vida, entre palavras, desapegos, dores e sabores. É bom tê-la de volta, e que esse sorriso perdure por muito tempo.
Come home - one republic
foi golpe de mestre!

Bianca Morais / Faith disse...

Oi flor! Como vai?

Mas claro que lembro do seu blog! Lembro que temos a mesma idade e somos sagitarianas também hehe :D

Adorei seu post. Acho que sempre chegamos numa "hora" em que algumas coisas mudam na vida da gente, temos vontade de ampliar os horizontes, ser um pouco mais donos de nós mesmos, parar com o sentimentalismo e sermos mais diretos e racionais. Acho que essa "hora" chega mais principalmente pra nós, mulheres...
Me encontrei na parte que você citou que tem amigos, mas que não estão de fato ao seu lado neste momento. É mais ou menos como eu...
Tenho amizades leais e verdadeiras, mas nem sempre podem estar comigo e eu igualmente nem sempre posso estar com eles...

Me diz uma coisa, tu moras aqui pelo Sul?

Espero que teu carnaval tenha sido ótimo flor, e te convido pra participar de um pequeno debate que abri no meu blog sobre este tema! ^^

Beijoo! :*

Lorena Morais disse...

Pode guardar, publicar [com os créditos], enfim...
Fique a vontade e volte sempre!

Que seja feliz assim... e leve!

Daniela Filipini disse...

Quando vejo um texto triste, eu digo: "Vai passar, tudo passa", mas o que dizer diante disso? Como dizer que tudo passa diante de toda essa alegria, essa vontade de viver, reviver, aproveitar os momentos perdidos, o tempo perdido. É crueldade dizer que vai passar, mas não seria mentira se o fizesse.
Também tenho estado feliz, um pouco angustiada, vez ou outra, mas é normal. Fico especialmente feliz por saber que também estás, e é com a minha sinceridade de cada dia que venho lhe agradecer pelo último comentário no meu blog. Aquilo foi algo que me animou de verdade, porque quando escrevi o post sobre eu me ausentar um pouco, por conta dos estudos, foi com agonia crescente no peito que eu escrevi palavra por palavra. Então eu volto lá alguns dias depois e me deparo com aquele consolo, aquele apoio que é tudo que se espera, e - surpresa - de uma pessoa que eu praticamente não conheço. Então: obrigada.
Os meus mais sinceros agradecimentos e os meus mais sinceros votos de felicidade permanente. E se passar, que volte logo.

Um beijo, Dani.

Fernand's disse...

ler e escrever é libertador.


já me salvou várias vezes e vai ser assim até o dia em que eu puder raciocinar. tenho certeza.


não se assuste com a felicidade.
assuste-se com a possibilidade de não reconhecê-la.


=)
bjsmeus

Rafael Castellar das Neves disse...

Isso sim é uma coisa boa de ser ler já cedo...fico contente e saber...isso irradia, sabia?

Aproveito para lhe convidar a participar do sorteio no meu blog Desce Mais Uma!.

[]s

devaneadora disse...

Quantas vezes me encontrei com essa mesma saudade nostalgica. E essa falta é uma das que mais machucam, os olhares, as risadas, as "rotinas", trejeitos tudo.
"Meu coração tá clamando por olhares que me entendam e acariciem, por palavras que machuquem e ao mesmo tempo consolem." me identifiquei demais com o texto.

Lindo, lindo seu blog.







Design e código feitos por Julie Duarte. A cópia total ou parcial são proibidas, assim como retirar os créditos.
Gostou desse layout? Então visite o blog Julie de batom e escolha o seu!