.

16 de out de 2009

Tu sempre soubes, moço, que sempre precisei de alguém para me cuidar. E cuidar dos meus sonhos, fazendo plumas em mãos e depositando-os em recantos alicerçados de segurança. Tu sabias como ninguém o esconderijo perfeito para isso e sabia quando tirá-los de lá e a hora certa de realizar os planos. Planos, em duplicidade.

E era bonito, moço. E eu sorria boba com tua destreza em me fazer ver arco-íris em céus pré-determinados para se pintarem cinzas. As nuvens brancas mescladas com um tapete azul, lá no alto, para combinar com o azul-da-cor-do-mar que agora habitava em mim. Ao teu lado, era sempre dia de sol, moço.

E quando eu pensei que não haviam mais formas de me desenhar aquarela, vieram tempestades. Começaram com lágrimas de cristal, torrenciais e que aos poucos foram se transformando em dilúvio. Dilúvio esse que carregou nossas esperanças e promessas de um amor eterno.

Difícil entender porque houve o desatar de laços. Nosso canto uníssono que sempre foi admirado, desafinou pela primeira vez. E na metade da nossa ópera de almas, as melodias se perderam. Aqueles, que estavam sentados na platéia, não entenderam o decair da peça que parecia tão ensaiada. Nossos semblantes a desenharem todos os constrangimentos, sem saber se ainda havia tempo para consertar o estrago.

Fechamos as cortinas e saímos separados para rumos diferentes. Talvez houvesse tempo de reconsertar o tom e tentar acertar. Mas decidimos que não, porque na verdade, perdemos o mais importante: nosso canto suave, em par.

Te envio um beijo doce e salpico com ternura. Não guardo mágoas, moço. Guardo gratidão em um pedaço grande daqui de dentro. Não vou dizer que não machuca. Dói, dói sim. Mas o tempo vem e se encarrega de fechar essa ferida. Juntos, éramos de um jeito inteiro, arte. Mas, perdão, moço. É que o fim se pintou em nós. E tu, já não és mais inspiração.

32 comentários:

Marcelo Mayer disse...

sempre a dor para inspirar. maldito seja o amor que tanto admiramos nos filmes, músicas e livros, mas nunca vivenciamos.

bjs!

Joyce Carolini. disse...

"As nuvens brancas mescladas com um tapete azul."

O amor é complicado mesmo!

Beijos pra ti, Tatá girassol!

Marina Sena. disse...

Nossa, lindo texto.
Senti nele tanta tristeza e tanta saudade.

Tomara que ela encontre de novo seu moço.
Ou um outro moço que a faça muito feliz, em dias de céu azul.

bjo, bjo, bjo...

Thais Motta disse...

adorei,
tuas palavras caíram feito luva aqui .

Um beijo .

Rhana Condado disse...

coisas do amoor ..
liindo post,
beiijinhos

Babih Xavier disse...

Aah o amor é tão du mal com o
coração da gente...
mas é tão necessário alguem pra gente
chamar de amor...

Bami disse...

Encantei de novo com seu texto! Mais um pra minha lista dos melhores textos. Lindo demais e triste tbm. O amor é assim mesmo, quando tudo parece bem, alguma coisa acontece e ele desaba. Que apareçam muitos outros "moços".
Bjooss

Pequetito disse...

Tatá, todas as tuas letrinhas contém doçura, mas além de tudo contém vibrações que me fazem sentir com o coração, vontade de pensar, de amar, de viver e ser feliz... sempre! Mesmo qdo as palavras não são todas felizes em sentido ou direção.
Gosto demais de Você, por menos que a conheça! E gosto pq te amar é simples demais... com tamanha magia e intensidade de alma, viver e existir que só vc tem!
Tua amizade, tua presença, teu perfume me fazem pensar com alegria na possibilidade de um dia encontrar alguém para amar e ser amado... talvez não alguém tão linda como vc, mas alguém... e tenha certeza, te ler é aprender e me preparar pra qdo isso acontecer!
Aprendo com vc... acredite!
E vibro demais qdo leio teus pensamentos e delicadezas!
Obrigado viu minha amiga tão linda e altinha!
Amei mais uma vez o texto e gostei da forma que vc encerrou.. simplesmente lindo!!^^

Daniela Filipini disse...

Senti minha respiração parar de tão lindo *-*

Lillian disse...

Melhor tomar rumos diferentes do que continuarem juntos, numa melodia desafinada.

A cada texto, me encanto cada vez mais com suas palavrinhas, moça.

Beijos! :*

Caá disse...

Há, aqui estou!
dei uma boa sumida né?
mas voltei pra me deliciar lendo seus textos lindoss!

boa semana queridaa
beijos

Paloma Flores disse...

Nossa, que jeito lindo de escrever um fim.
Quando acaba sempre dói, não é? Mesmo quando a gente acha que não. É tanto para se dizer, foi tanto oq ue se viveu, se sonhou, mas tudo cabe em um silêncio.
E é só o que fica. Silêncio.
Boa semana!
Obrigada pela visita no Folhas e desculpa pela demora em responder. =)

Desirée disse...

Um fim é sempre um fim. Mas tente encarar como um novo começo ^^
Bjos florzinha :)

Lucas Lima disse...

do amor me abstenho a opinião, complexidade mór, rsrs
bjs e boa semana.
(boa escrita)

Carolda disse...

É triste quando algo tão bonito acaba. Mas é tão bom quando surge algo novo...
Um beijo

Drêycka disse...

Vc ja escutou a musica "DEVOLVE, MOÇO" da Ana Cañas?

Lembrei dela lendo por aki...

Gabriela disse...

"É que o fim se pintou em nós. E tu, já não és mais inspiração." Sempre a linha tênue que entrelaça com o viver do nosso amar, consequência de muitos tropeços ao caminho à dois, de muitas mágoas ao estilhaçar das vidraças do coração. nem sempre é fácil recuperar-se, mas cá estamos com os sorrisos estampados ao vento. Muito bonito ficou e obrigada você, pelo comentário! :D
Bjs.

Maari. disse...

Não é fácil prosseguir sem ferimentos,
Mas o tempo diminui a ferida e por um momento não dói mais.
Quando acaba a "duplicidade" nós passamos a ser o único artista,
o único pintor de nossa própria felicidade.
Beijos na Alma.

Beatrix disse...

Lindo.
Triste ..mas lindo.

Mesmo as coisas bonas tem um fim e ,lutra contra isso só nos machuca mais.

;*

Joyce Carolini. disse...

Linda Tatá! Que comentário doce e fofo! Me deixou com brilho nos olhos! Eu amei!
Feliz daquele que tem a sua amizade!

Grande beijo pra ti, girassol!


P.S.:Fiz um post e você foi mencionada, depois dá uma passadinha lá no blog.

de Oliveira. disse...

"É que o fim se pintou em nós. E tu, já não és mais inspiração."
Lindo demais, mesmo, Thaís. Eu sou novo nesse mundo de blog, e cada vez mais eu me surpreendo com tanto talento que eu pensei nunca conhecer. Adoro textos na segunda pessoa do sing. sem ser o 'você', tu, tu és mais belo rs. Gostei tanto pq o texto fala um pouco sobre o que eu to vivendo nesse momento... desculpa o desabafo, é porque você ganhou um leitor. Beijos, Thaís.

matheus disse...

Sensacional!
gostei muito mesmo, tens um dom nato para escrita!
Parabéns

Mari disse...

Que belo texto, Tatá!
A tristeza sempre é inspiradora. Você definiu lindamente o fim de uma história.
Beijos

Márcia Amaral disse...

" Não vou dizer que não machuca. Dói, dói sim. Mas o tempo vem e se encarrega de fechar essa ferida. " Pensar que um dia vai pasar, sempre me da força .

Joyce Carolini. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Joyce Carolini. disse...

Tatá.
Quando for ao meu blog, procure por essa postagem. Te mencionei no texto.

http://vourelatar.blogspot.com/2009/10/aos-meus-queridos-leitores.html

Beijos pra ti, girassol!

Jessie disse...

"E tu, já não és mais inspiração."

Amor é tão complicado que quase dá vontade de não sentir!Mas ele acaba fazendo falta nas nossas vidas.Sinto muito pelo seu desatar de laços.Passei por dopis esse ano que machucaram muito.Mas como você disse, o tempo se encarrega de fechar ou pelo menos minimizar todas as feridas.Espero que a sua ja esteja a cicatrizar.

Beijos mil, flor.

Ps:atualizei depois me visita?

dreamsaboutme disse...

A dor inspira..tudo bem que machuca, mas produz textos belíssimos tbm..como o seu! Agora, qu venha a bonança! Beijos ;)

Natália disse...

O tempo pode passar e as feridas continuaram no mesmo lugar, sem cura. beijos

Mayana Carvalho disse...

No final são só as coisas boas que deveem permanecer!

Beijos

Camila disse...

muito liindoo, vou te seguiir *--*

Luh* disse...

O amor machuca tanto! como acontece isso!?
alguem explicaa!
beijos







Design e código feitos por Julie Duarte. A cópia total ou parcial são proibidas, assim como retirar os créditos.
Gostou desse layout? Então visite o blog Julie de batom e escolha o seu!